Saúde e Bem estar

Saúde e Bem estar

Ano Novo: Cores de alimentos também têm significados. No Natal, Ano Novo ou qualquer outra ocasião, não são só as cores de roupas que possuem significados, mas também as dos alimentos.

A Cromoterapia Alimentar, também conhecida como Alimentação Cromática e Alimentação Arco-Íris, têm como palavra-chave a variedade e se originou na Medicina Tradicional Chinesa, a qual considera que cada cor estimula um órgão do corpo humano. Segundo, o cromoterapeuta e psicólogo Sérgio Silveira, presidente da APRE - Associação Portuguesa de Reiki Essencial em Portugal, a Cromoterapia Alimentar possui benefícios emocionais e físicos. Os efeitos das cores das roupas, muito mais difundidos, têm uma desvantagem: o efeito emocional é muito maior que o físico, devido ao uso de tecidos sintéticos e cores vibrantes (metálicas e fortes). 

O cromoterapeuta explica que a Alimentação Cromática baseia-se na energia do espectro solar que os alimentos absorvem dos raios solares e nos transmitem por meio de sua ingestão. “Como cor é luz, a pessoa primeiro alimenta-se de luz e depois das propriedades nutritivas dos alimentos. Independente de acreditar ou não no potencial das cores, elas simplesmente agem. Para aqueles que têm consciência sobre isso, o poder curativo é potencializado. É a mente influenciando o corpo.” Entretanto, para que a pessoa possa usufruir os efeitos físicos dos alimentos, e não apenas os emocionais, a tonalidade deve ser natural – não são válidos, por exemplo, refrigerantes, sucos artificiais, salgados e outros produtos que possuem corantes na sua composição. 

São seis as cores da saúde: castanho, vermelho ou rosa, laranja ou amarelo, verde, roxo ou azul e branco. A seguir, confira qual o potencial de cada tonalidade e alguns exemplos de alimentos que podem ser consumidos: 

 

- Castanho: potencial rejuvenescedor devido à vitamina E. 

Exemplos: castanhas, nozes, cereais integrais e outros feitos a partir deles, como massas e pães. 

 

- Vermelho/Rosa: potencial desintoxicante devido ao licopeno. 

Exemplos: cereja, tomate, pimentão vermelho, páprica, maça vermelha, goiaba vermelha, melancia, etc. 

 

- Amarelo/Laranja – fortalece o sistema de defesas, devido ao betacaroteno. 

Exemplos: mamão, cenoura, manga, abacaxi, milho, damasco, mimosa, pêssego, batata-doce, etc. 

 

- Verde: potencial de limpeza natural do organismo, devido à clorofila. 

Exemplos: suco de clorofila, azeitona verde, alface, brócolos, pimentão verde, kiwi, abacate, salsa, cebolinha, manjericão, couve, limão, lentilha verde, uva verde, menta, hortelã, maçã verde, ervas verdes, etc. 

 

- Roxo/Azul: protegem o coração, devido à anticianina. 

Exemplos: ameixa, uva, figo, beterraba, repolho, etc. 

 

- Branco: favorece a regeneração celular e protege o sistema imunológico, devido ao pigmento flavina. 

Exemplos: couve branca, aipo, nabo, cogumelo, cebola, alho, banana, feijão branco, leite, iogurte, carne branca, peixe, queijo branco, etc. 

 

Cromoterapia 

A cromoterapia aplica a vibração das cores do espectro solar para restaurar o equilíbrio físico-energético em áreas do corpo que apresentam algum problema. Ela pode ser aplicada como uma técnica auxiliar, em conjunto com tratamentos de saúde, psicológicos e terapias como Acupunctura, Reiki e Reflexologia. As propriedades terapêuticas de cada cor agem em campos energéticos do corpo humano denominados chakras, corrigindo e reativando o campo vibratório celular afetado. Cada um dos sete chakras tem uma cor específica e a função de transmiti-las ao organismo. 

A técnica pode ser aplicada em sessões com profissionais habilitados. Num primeiro momento há a realização de uma entrevista chamada anamnese, que pretende verificar os sintomas físicos do paciente. A partir daí são utilizadas diferentes técnicas – pedras coloridas, água cromatizada, bastão cromático e luz parada –, conforme as especificidades do diagnóstico. Roupas, alimentação e ingestão de água solarizada são ferramentas coadjuvantes, que podem ser utilizadas no dia-a-dia e ajudam no tratamento.