Nossa Localização

Localização

ANASTÁCIA

Centro de Terapias Alternativas

Precisa de energia?

  • Categoria: Textos
  • Publicado em terça, 16 setembro 2008 09:58
  • Escrito por Pedro José Barros
  • Visualizações: 7615

Precisa de energia?

Quando pensa no que faz não tem dúvidas: "Não é uma atividade, é um propósito de vida. Não é uma vocação nem um dom, é um sacerdócio.

Foi mesmo isso que vim fazer nesta vida". João Carlos Melo, tem 47 anos natural do Rio de Janeiro (Brasil), e adquiriu a dupla-nacionalidade. Formou-se em Economia e foi empresário no sector têxtil durante 17 anos. Mas os seus 100 funcionários e cinco lojas não o fizeram feliz e aos 28 anos largou tudo. Tornou-se num Mestre de Reiki. Fundou em Portugal a Associação Ser Vida e criou o projeto "Reiki Sem Fronteiras", com o qual pretende divulgar a terapia. Chegou a hora de transmitir energia vital.

Entrei num auditório da Câmara de Aveiro, no fim de um encontro de Reiki, e vejo almofadas nas cadeiras, colchões, pessoas descalças, sapatos por todo o lado e há sons de pássaros. Ninguém diria que não estávamos num festival musical de Verão!

Acho que o que há em comum é a criação de um espaço descontraído dentro de um ambiente formal de um auditório. Estamos num auditório com 500 cadeiras. À nossa frente está uma mesa que normalmente tem pessoas muito formais a discursar, um púlpito com um microfone e nós transformámos isto num espaço completamente informal em que as pessoas se sentam no chão em almofadas e tiram os sapatos.

 

Por que tiram os sapatos?

Não só por uma questão de higiene mas também como um símbolo de desprovimento. Eu desnudo-me, desprotejo-me das minhas armas, das minhas armaduras e defesas. Sento-me aqui como alguém aberto a partilhar.

 

O que é o reiki?

Para entendermos o Reiki é preciso partir do princípio que existe uma coisa chamada energia vital. Não é qualquer energia. Em meados do século passado, Einstein postulou a Teoria da Relatividade, mostrando-nos que a ‘energia é igual à massa vezes a velocidade da luz ao quadrado’ [E=m.c2]. O que Einstein nos mostrou, é que se você pegar numa determinada matéria e acelerar à velocidade da luz ao quadrado, encontra energia pura. O postulado da Teoria da Relatividade é que matéria é energia condensada. Ninguém até hoje pôs isso por terra. 

Se a matéria é energia condensada e você e eu somos matéria, além de outras coisas nós somos energia. Só que a energia que anima o ser vivo (humanos, animais e plantas) é uma categoria específica de energia chamada energia vital. A sílaba japonesa ‘ki’, da palavra Reiki, significa ‘energia vital’ em português. Nós somos compostos por essa energia vital e sustentados por ela. 

 

Precisamos dela?

Exatamente. Nascemos saudáveis com uma carga original de ‘100 por cento dessa energia vital’ e vamos gastá-la ao longo da vida. Mas somos biodinâmicos, absorvemos energia vital ao longo da vida e gastamo-la. Não nascemos com 100 por cento e vamos num decréscimo constante até zero. Gastamos energia vital mas se a gastamos é um pressuposto da Natureza que a repomos. Como? Através do Reiki? Não, a Natureza não pressupôs a prática do Reiki. O que ela pressupôs são algumas formas absolutamente naturais de você repor essa energia.

 

Como?

Através da alimentação sólida e líquida e através da alimentação gasosa, que é a sua respiração. Quando você respira, não se nutre só de oxigénio, isso é a visão dos ocidentais. Os orientais percebem que a energia vital existe na atmosfera e que quando você inala também inala energia vital. Há um pressuposto na Natureza que é a saúde perfeita. A doença é um sinalizador de um desvio. Quando nos desviamos do trajeto original que iria sustentar essa saúde permanentemente, adoecemos. A doença traz em si um código que nos ajuda a entender por que é que nos desviamos. 

 

O que o reiki faz é ajudar o processo natural de recomposição energética? 

Exatamente. O Reiki é uma prática que repõe as cargas de energia vital, é um ‘suplemento’ de energia vital e portanto ele investe na origem da criação de todos os teus planos. 

 

Trabalha-se muito a vertente psicológica e emocional?

Psicológica, emocional e consequentemente física. O corpo físico que valorizamos tanto é o palco onde esse teatro é encenado. É ele que dá o suporte para esse teatro ser encenado. Por trás, há um roteiro, um guião, um argumento e os atores que estão nesse palco. O palco é o seu corpo físico e se só tratamos do palco, não mudamos a peça. 

 

Trata-se então de uma terapia baseada na manipulação de energia?

Transmissão de energia vital. A prática do Reiki é uma ação de transmissão de energia vital de onde ela está disponível, ou seja, a atmosfera, para onde ela é necessária: um corpo biologicamente vivo, que pode ser um animal irracional, uma planta, eu ou você. 

"A ciência perdeu alma mas estamos num momento de viragem"

Se uma pessoa se sente em baixo de forma, por que razão recorreria ao Reiki e não, por exemplo, a uma corrida ou a um sumo vitamínico?

Porque talvez já tenham feito todas as corridas que eram possíveis e dado a volta ao mundo e bebido todas as laranjas disponíveis no planeta e continuam tristes e infelizes. Não estou a dizer que devam deixar a corrida ou o sumo de laranja. Vemo-nos como um complemento ao que vem sendo feito e à medicina convencional, que tem um valor inestimável em vários aspetos mas também uma filosofia um bocado ignorante. No que toca à energia, por exemplo, a medicina tradicional do oriente continua a considerar a energia tal e qual a matéria. Foi a nossa medicina tradicional do ocidente que se perdeu disso. 

 

Por que é que o reiki não é reconhecido cientificamente? 

Se analisarmos o seguimento do conhecimento humano nos últimos 500 anos, vamos entender uma coisa claramente. Houve um advento que separou definitivamente ciência e religião: a Inquisição. Naquele momento, o poder reinante, que era o eclesiástico, disse: "Ciência pode estudar o que quiser menos Deus, os anjos e a criação do Homem". A partir daí, a ciência aprofundou as suas pesquisas, chegou muito longe, estamos nos confins do Universo, conseguimos operar o neurónio da cabeça de um sujeito e estamos vazios e com uma pergunta existencial sem resposta: "Quem somos, de onde viemos e para onde vamos?".

 

Não há esperança? 

A ciência perdeu alma mas estamos num importante momento de viragem da Humanidade. A física quântica, por exemplo, aproxima-se cada vez mais desse entendimento metafísico do ser humano e estamos a aproximar novamente, cada vez mais, os conhecimentos da religião e os da ciência. Acho que o Reiki é um bocado uma possível ponte de ligação entre esses dois polos.

 

Mas os efeitos do reiki ainda carecem de comprovação científica?

Não há uma comprovação científica, há muitas observações e pesquisas a fazer-se. Nós não vemos nada, mas você também não vê as ondas do rádio nem da televisão. Entretanto, olha para a televisão e tem lá uma imagem ou um som que sai do rádio. A prática do Reiki, é assim. Você não vê as ondas do Reiki, a energia vital, mas vê as recorrências desse processo. À medida que você pratica Reiki, vai sistematicamente observando as melhorias. 

 

Hospitais abrem as portas ao reiki

Há hospitais no estrangeiro que já incorporam o Reiki como complemento.

Em Madrid há hospitais públicos que praticam Reiki. Os Estados Unidos da América têm vários hospitais com Reiki em alguns Estados. Portugal, oficialmente não tem mas no Hospital do Barreiro tenho vários alunos que são enfermeiros e médicos. Três dessas enfermeiras estão há três anos a propor um projeto com Reiki, de cuidado para os cuidadores. No final de 2007 foi aprovado. Conseguiram que eu fosse ao Hospital do Barreiro fazer uma palestra. Depois, o diretor clínico do Hospital pediu que fizéssemos um projeto para cuidado dos doentes e apresentámos a primeira versão, que está a ser estudada pelo corpo clínico. Há 15 dias recebi também um convite do Hospital de Portimão para ir lá fazer uma iniciação em médicos e enfermeiros porque eles internamente querem desenvolver um projeto. 

 

As técnicas desenvolvidas podem ajudar a aliviar doentes? 

A ideia da recarga da energia vital não é curar doenças. A homeopatia, por exemplo, funciona num princípio muito semelhante. A Natureza tem um pressuposto quando nos cria, que é a saúde, não a doença. Nessa criação existe um núcleo central cujo registo é saúde. O Reiki vai a esse registo central e alimenta-o com novas cargas de saúde. Energia vital gera saúde de dentro para fora. Tudo o que é diferente dessa saúde tende a ir embora. Não tratamos doenças, incrementamos a vida e a saúde.

 

O reiki poderá ter a ver de alguma forma com o chamado efeito Placebo ou há mais do que isso?

A resposta objetiva é: "Sim, há mais do que isso". Mas vejamos, quando falamos de autossugestão, a primeira ideia que nos ocorre é: "Ah... Isso é autossugestão…", como se ela fosse qualquer coisa. Não é qualquer coisa, é poderosíssima. Por exemplo, há um programa num hospital na Alemanha que trabalha com crianças com cancro. Uma amostra dessas crianças foi levada a imaginar que os macrófagos do sangue [células capazes de destruir partículas estranhas ao organismo como bactérias, vírus e parasitas] eram ‘pacmans’. Eles imaginavam que essas células se multiplicavam e que comiam as células cancerosas. O grupo de estudo teve 25 por cento de performance superior ao grupo com a terapêutica tradicional. A mente tem um poder enorme de criar uma realidade. 

 

Mas dizia que o reiki vai mais além?

O Reiki vai mais além disso. Podemos fazer Reiki em plantas, animais irracionais ou em seres humanos. Se fizermos Reiki num cão, acha que o cão está submetido a essa possibilidade de autossugestão?

 

E como se nota o efeito?

Porque cura o que ele tem ou melhora o seu estado. Uma planta que está doente fica mais vitalizada ou mesmo livre do mal que tinha naquele momento. Não estou a dizer que o Reiki é uma magia ou uma panaceia mas que com a sistemática e progressiva elevação dos níveis de energia vital em direção ao pressuposto original da nossa criação, ou seja, à alta carga de energia vital e ao plano da saúde absoluta, é para lá que se caminha. 

 

E o que podemos fazer em casa para repor os níveis de energia servindo-nos do nosso corpo?

Sendo um reikiano, o óbvio é fazer as sessões de autoaplicação diárias como são ensinadas e recomendadas no curso. Se a pessoa não é reikiana, há muitas coisas que se podem fazer, como uma alimentação o mais natural possível, respirar adequadamente, ter práticas físicas saudáveis e bons padrões de pensamento, positivos, realistas mas otimistas. 

 

O que faz um reikiano nas autoaplicações e durante quanto tempo? 

Toca com as mãos no corpo. Usamos um tempo médio de referência de quatro minutos por posição ao longo de 12 posições. É uma sessão que dura entre 50 e 60 minutos. Durante esse tempo, está a haver a transferência da energia vital. Numa autoaplicação, você é transmissor e recetor ao mesmo tempo.

 

E temos energia para nos restabelecermos?

Você não está a fazer emissão mas transmissão. Está a colher a energia vital da atmosfera e a ser transmissor e recetor simultaneamente. 

 

Também existem partes específicas do corpo mais suscetíveis? O que são os chakras?

Na prática do Reiki esse tipo de conhecimento é absolutamente acessório e desnecessário. Não precisamos de conhecer chakras nem doenças, simplesmente tocar o corpo com as nossas mãos e deixar a energia ser transmitida. Para efeitos didáticos, ensinamos determinados pontos ao longo do corpo para que seja uma distribuição homogénea dessa energia mas mesmo assim, não sabemos quanta energia vai ser transmitida para cada ponto e não precisamos de saber, fazemos em todos os pontos durante um determinado tempo mínimo. Mas se eu sei que estou com um ombro doente, então vou fazer mais tempo nesse ombro porque sei que está doente, a deficiência de energia já se materializou num desequilíbrio que está no corpo físico.

 

Fonte: Textos Pedro José Barros

 

Comentar


Morada

Rua do Xisto 150 . Maia . Portugal
Tel: 96576 3788 
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Aqui tem acesso à nossa morada e dados de contacto. Após a sua visita online, aguardamos a sua visita presencial.

Newsletter

Inscreva-se na nossa lista de e-mails e será atualizado com as últimas notícias.

Registar na newsletter