Ki-Kong-Do

Ki-Kong-Do

Uma prática séria e aprofundada de qualquer arte marcial oriental, trabalha sempre as energias internas do praticante, o conhecimento destas artes trabalha um caminho paralelo.

Esse caminho e à introspeção espiritual e individual, tanto quanto para a realização de um bem-estar interior que tem um reflexo positivo sobre a vida social comum. Além disso, os exercícios do Ki-Kong-Do fazem que o desequilíbrio que ocorre no corpo físico e energético, seja retificado pela prática do mesmo. O Ying e Yang é muito conhecido na filosofia Oriental, vistos não como opostos mas complementares.

Além disso, a procura do equilíbrio entre Ying e Yang, estão entre os fundamentos do Japão e da China Oriental e do conhecimento médico. Por uma questão de facto, muitas vezes aconteceu que mestres de artes marciais também foram curadores, pois daí que a combinação das habilidades de técnicas de luta, bem como o conhecimento de habilidades de cura fazem um mestre crescer nas suas habilidades pessoais e espirituais.

Por exemplo, alguns dos exercícios básicos que visam o relaxamento neuromuscular, postura correta e alinhamento do corpo, estudo e controle da respiração fazem parte das técnicas marciais ancestrais. Do ponto de vista da concentração e meditação, que são os primeiros passos para o Ki-Kong-Do fazem com que as energias fluem no nosso corpo durante os exercícios, e façam evoluir a nossa parte espiritual. Portanto, mais uma vez destacamos que as artes marciais estão longe de ser um desporto de socos e pontapés, e que separando a arte marcial da sua vertente mais física, encontramos um trabalho interior, que oferece diferentes técnicas para diferentes tipos de energias que se combinam, em um intercâmbio contínuo de poderes, para trazer uma nova vida no microcosmo particular que é o ser humano.