Rua do Xisto nº 150,
4475-509 Nogueira Maia

(351) 913 089 277
geral@centroanastacia.com

Oxalá - Obatalá

|
Escrito por Okanbi / Omo Aggayú

obatala

 

É o criador dos demais Orichás. Obatalá representa a criatividade do resto dos Orichás. Quando Olodumaré criou a vida humana na terra, fez Obatalá à sua semelhança (equivalente a Adão) e o encarregou de velar pelo planeta e as suas criaturas. Ele dirige todo este mundo e cuida para que tudo saía bem. Ele é o verdadeiro representante de Olodumaré na Ara (terra), e teve a missão de ensinar a todos os outros Ochás. Em Obatalá nasceu a luz e a escuridão, a vida e a morte, o bom e o mau e assim o sangue vermelho (se não há sangue nas veias, não há vida humana).

Ele tem o poder e a autoridade suficiente sobre todos os Orichás, e quando há guerra de Santo ele é o intermediário e o que impõe respeito. Obatalá é o único juiz desta religião, pois a sua palavra é lei. Ele é o Deus das casas, é a ele que se pede quando se quer um lugar nosso para viver. Nele nasce tudo o que é puro e espiritual desta vida. Quando Olokun tratou de devorar a terra (com altas ondas), porque os filhos da terra encheram o mar com muito lixo, Obatalá encarregou-se de acalmar a sua ira. Obatalá é o único Orichá que fala em todos os signos do Dilogun, em todos os Oddúns, desde o 1 ao 16. Sem importar o Santo que tenha feito no seu Iguaro, tem sempre que estar acostado a este Orichá para que reine a paz na sua vida, na sua Ilé. Obatalá é a cabeça desta religião (recorde-se que a cabeça é o que guia o corpo), por isso ele é o Orichá que se encarrega de julgar-nos aqusanteria ou santaria cubana em Portugali na terra.

Quando oiço ou vejo que um Iguaro diz ou faz algum problema ao seu semelhante, penso com segurança que não sabe o que faz, pois vai pagar mais cedo ou mais tarde aquilo que fez. Obatalá encarrega-se de fazer pagar tudo isso com lágrimas de sangue. Obatalá é a maior divindade do panteão Yorubá, e é nele que está o significado terreno de Olofi. Ele é o único juiz que tem esta religião e é o Santo maior porque foi o primeiro que baixou à terra. A palavra Obba em Yorubá significa poderoso, extensão e expansão. Unidos estes vocábulos, Obatalá significa rei de todos os Santos.

 

Dia da semana…………...Sexta-feira

Cores……………………....Branco

Frutos ……………………..Uva branca, pêra e maçã

O que faz……………….…Dá felicidade, progresso e saúde

Presentes prediletos……Flores e velas brancas, mel, suas comidas e bebidas 

Saudação…………………Êpa Babá! Xêuê Babá! (Viva o Pai!)

 

LENDA (1)

Olorum criou Obatalá, Olokum, Odudua e Orumilá, depois deu a Obatalá (o Obatalá original) a tarefa de criar o mundo, entregando-lhe uma sacola com um pó mágico, mas Obatalá, instigado por Orumilá, que estava zangado por ele não ter cumprido os rituais antes de partir, bebeu muito vinho de palma e adormeceu. Então, seu irmão e rival Odudua roubou a sacola e usou o pó para criar o mundo antes de Obatalá acordar. Obatalá foi castigado com a proibição de usar produtos e bebidas alcoólicas mas, como consolação, recebeu uma argila para modelar os humanos, mas como não levou a sério a proibição, continuou bebendo e, nos dias em que se excedia, fazia as pessoas tortas ou mal cozidas. É por isso que os deformados e os albinos são filhos de Obatalá.

LENDA (2)

Obatalá resolveu visitar o seu filho, Changó, Ifá disse que ele correria perigo na viagem; mandou levar 3 mudas de roupa, sabão e ori (creme de óleo de palma ou dendê); e recomendou que não brigasse com ninguém na viagem, Obatalá encontrou Eshú, que o abraçou e sujou de óleo de palma; controlando-se para não brigar, ele lavou-se, vestiu roupa limpa e despachou a suja com ori. Isso repetiu-se com Eshú Eledu, que o sujou de carvão, e com Exú Aladi, que o sujou com óleo de caroço de dendê. Adiante, encontrou um cavalo que havia dado ao filho Changó; quando o pegou, os criados de Changó chegaram, pensaram que ele estava a roubar o animal e o jogaram na prisão, onde ficou por 7 anos. Nesse tempo, o reino sofreu seca, os alimentos acabaram e as mulheres ficaram estéreis. Ifá disse que a causa era a prisão de um inocente. Changó mandou revistar as prisões e reconheceu o pai. Ele mesmo o lavou e vestiu, e então o reino voltou a ser próspero.

LENDA (3)

Yemanjá, a filha de Olokum, foi escolhida por Olorum para ser a mãe dos Orixás. Como ela era muito bonita, todos a queriam para esposa; então, o pai foi perguntar a Orumilá com quem ela deveria casar. Orumilá mandou que ele entregasse um cajado de madeira a cada pretendente; depois, eles deveriam passar a noite dormindo sobre uma pedra, segurando o cajado para que ninguém pudesse pegá-lo. Na manhã seguinte, o homem cujo cajado estivesse florido seria o escolhido por Orumilá para marido de Yemanjá. Os candidatos assim fizeram, no dia seguinte, o cajado de Oxalá estava coberto de flores brancas, e assim ele se tornou pai dos Orixás.

 

QUEM É OBATALÁ

Oxalá é a criação, o começo do mundo, o princípio de tudo. O criador dos Orixás, dos seres humanos, da natureza. Foi ele quem permitiu a todos os Orixás escolherem seus domínios e seus filhos quando estes nascem. Oxalá, o mais importante e elevado dos deuses YORUBÁS. Representa o céu, o princípio de tudo, e foi encarregado de criar o mundo. De sua união com Yemanjá resultou o nascimento da maioria dos Orixás. É o pai da brancura, da paz, da união, da fraternidade entre os povos da terra e do universo. É considerado o fim pacífico de todos os seres. Obatalá é Orixá que vai determinar o fim da vida, o fim com a certeza do dever cumprido. Nas rodas da Santaria, Exú inicia e Obatalá termina os Xirês. Faz parte dos Orixás denominados funfun, (brancos). Não gosta nem de sangue, nem de óleo de palma. Obatalá é alheio a toda violência, disputas, brigas, gosta de ordem, da limpeza, da pureza. 

É o Orixá mais velho. As principais características deste Orixá são: calma, respeitabilidade, força de vontade, confiança, nada os faz mudar de opinião ou estratégia, no entanto, aceitam as consequências de suas decisões. Seus filhos devem vestir branco às Sextas-feiras. Sua maior festa é uma cerimónia chamada "Águas de Obatalá" que diz respeito à sua lenda dos sete anos de encarceramento, culminando com a cerimónia do "Pilão de Obatalá".

ARQUÉTIPO DOS FILHOS:

O filho de OBATALÁ é benevolente, paternal, é sábio, calmo, teimoso, reservado, obstinado, tolerante, paciente e age em silêncio. É lento, frio, fechado. São dignos de confiança, mesmo em dificuldades insistem em seus planos e projetos. Nunca esquecem uma ofensa, traição, mas sabem aceitar seus resultados. É frágil, delicado, friorento, sujeito-a resfriados. Compensa a sua debilidade física com grande força moral, e seu alvo realizar a condição humana no que tem de mais nobre. É fiel no amor e na amizade.

 

 

Okanbi

Com a bênção do meu Pai Aggayú e Yemanjá

Para qualquer outra questão sobre este texto, pode-nos escrever para o nosso correio eletrónico e darei mais explicações ou retirarei dúvidas.

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Categoria: