Rua do Xisto nº 150,
4475-509 Nogueira Maia

(351) 913 089 277
geral@centroanastacia.com

Elleguá - Eschu - Exú - Elegwa

|
Escrito por Okanbi / Omo Aggayú

 eschu

 

Para mim Eleggwá será um dos Orichás que mais sinto presente na minha vida, não por ser o meu Orichá tutelar, mas sempre que está no meu caminho, muito me honra a sua presença na minha vida. Se o tivermos como nosso aliado nesta vida, tudo iremos conseguir, pois é ele que nos ajuda a encontrar caminhos e soluções na nossa vida. Elleguá representa tudo aquilo que acredito existir neste mundo, o bom e o mau, a certeza e a incerteza, o negativo e o positivo. Na sua face da vida, estas facetas existem, por isso devemos ter muito cuidado quando lidamos com Elleguá pois ele nos poderá castigar se levarmos uma vida em oposição a ELE.  

Quando Eleggwá quer que nós seres humanos, tenhamos um caminho e nós pela interferência de outras pessoas ou nossa teimosia acabamento por fazer o contrário, estaremos cientes que nada se faz, enquanto não soubermos ouvir o nosso interior ou seja Eleggwá. Muito se fala de Eleggwá, que é o senhor e dono de todas as oportunidades da nossa vida, e que é ele que abre e fecha todas as portas dos nossos desígnios, é também o encarregado de fazer cumprir as leis sagradas da nossa Mãe Terra. Também temos em mente que será Eleggwá um Orichá sendo o dono de todos os caminhos e portas deste mundo, é ele o fiel depositário do Ashé da nossa vida. Elleguá veste-se com as cores vermelho e negro, ou branco e negro e codificam a sua natureza contraditória do seu ser. O rato é uma das imagens que representa Elleguá, não na sua mais infinita procura de caminhos, que sempre os encontra.  santeria ou santaria cubana em portugal

Em particular, Elegbara aparece na encruzilhada dos humanos e do divino, pois ele é o Orichá infantil e o mensageiro entre os dois mundos (a terra e o céu). Tem uma relação boa com todos os Orichás, mas a mesma é muito mais estreita com Changó e Orumila. Nada neste mundo se pode fazer sem a sua permissão, pois ele é sempre o primeiro a comer. Por isso, Eleguá sempre é chamado em primeiro lugar quando se faz um sacrifício, pois ELE é quem abre as portas entre os dois mundos, abre as portas e os caminhos na nossa vida. 

Elegguá reconhece-se a si mesmo pelos números 3 e 21, e ele é a nossa sorte e destino, com ELE tudo se alcança, e sem ELE nada se consegue. Quando pedimos um conselho a Eleggwá e ele nos fala e nos dá os seus conselhos, esses conselhos, temos a segurança que é o nosso espírito interior quem nos fala através dos Oráculos. 

HISTÓRIA DE ELEGGWÁ

Certa ocasião Olofi padeceu de um mal misterioso, que se agravou durante vários dias e o impediu de trabalhar. Todos os Orichás tentaram aliviar as dores, mas as suas medicinas não resultaram em nada. O pai dos Orichás, o criador, já não podia levantar-se pois encontrava-se extremamente debilitado e dorido. Apesar dos seus poucos anos, Elegwuá pediu à sua mãe que o leva-se a casa de Olofi, assegurando que o curaria. O rapaz escolheu ervas para preparar uma bebida. Deu de beber a Olofi que começou rapidamente a curar-se e a fortalecer. 

Agradecendo Olofi, ordenou aos demais Orichás maiores que cedessem a Elegwuá as primazias das oferendas. Depositou nas mãos de Elegwuá uma chave e o fez dono de todos os caminhos que tem a vida. Desde esse dia, tolerou com ilimitada tolerância as suas picardias. 

Por esta razão, é que ele come primeiro antes ainda que Obatalá. Também foi o único que teve a coragem para contar a Obatalá o que Oggún estava fazendo à sua mãe. Este abusava sexualmente dela quando este abandonava a casa deixando-o encarregado dela. Oggún chantageava Ochosi e Ozún com a comida, e maltratava a Elegwuá e o deixava sem comida. Mas este foi contar a Obatalá o que Oggún fazia com Yembó (Yembó Yemanyá é um caminho de Oddua). Obatalá colocou-se em sentinela e agarro Oggún na sua transgressão, desde esse momento, Elegwuá come e tem os privilégios de ser o primeiro em tudo. Existem muitos caminhos nos Elleguás o qual salientamos os seguintes:

ESHU AFRA:

É um Elegguá que regularmente vive nos hospitais. Companheiro inseparável de Asojano (Asowuano), vai com ELE ajudando nas doenças, sobre tudo do tipo contagioso. É por isso que se conhece como a criança das doenças contagiosas infantis, como são a varicela, o sarampo, etc. 

Este Elegguá assenta numa pedra porosa ou de pome e leva um segredo que o faz mais forte para ajudar. Não toma aguardente como os demais Elegguás, mas bebe vinho tinto. Entre as suas ferramentas se encontra um bastão de caminhante, e uma taça em madeira onde se confeciona a medicina. A este Elegguá, não se deve ver de frente, e é por isso que leva tapada a cara com palha. Conta a historia que foi ELE, quem ajudou Asowuano quando tinha a doença e graças a ele consegui-o que Oggún e os cães o acompanham, de Ozain, as muletas é de Shangó e o perdão de Olofi. Este Elegguá recebe-se com Obalú Ayé. Colar com contas brancas e negras.

 

ELEGGUÁ ALAWANAESHU LAROYE

ESHU AKOKORIYE

ESHU BARALAYIKI

ESHU ALA LU BANCHE

ESHU AWERE

ESHU ANAKI OLOKUN

ESHU MASANKIO

ESHU INA

 

 

Okanbi

Com a bênção do meu Pai Aggayú e Yemanjá

 

Para qualquer outra questão sobre este texto, pode-nos escrever para o nosso correio eletrónico e darei mais explicações ou retirarei dúvidas.

 

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Categoria: